Biografia

Carina Vitral nasceu em Santos (SP) em 1988. O pai, paraense, radicou-se na cidade por conta do trabalho de Almirante da marinha mercante. A mãe, advogada, veio do Rio de Janeiro. Carina é a segunda filha de três irmãos.

Desde a adolescência, Carina se envolve em projetos sociais. Fez parte do grupo Projeto Capoeira Escola de capoeira, do Centro dos Estudantes de Santos (CES) e de ONGs. Mas foi ao ingressar no curso de economia da Universidade Federal de Santos Catarina (UFSC), que iniciou sua trajetória de militância no movimento estudantil.

Na UFSC, Carina integrou o Centro Acadêmico de seu curso, o que a levou à direção executiva da União Nacional dos Estudantes (UNE). Nesse período, liderou a mobilização de milhares de estudantes universitários à Brasília em meio a uma extensa greve. A mobilização levou os estudantes a conquistarem a elaboração de um Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES), que tinha como objetivo garantir a permanência dos estudantes que acessaram a educação superior através de programas democratizantes, como o Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI).

De volta à São Paulo, Carina passou a estudar economia na PUC-SP. Em 2013 é eleita para a presidência da União Estadual dos Estudantes de São Paulo (UEE SP). No início de sua gestão, ocorre as chamadas “Jornadas de Junho de 2013”, que levaram milhões de jovens às ruas contra o ajuste na passagem de metrô.

Em meio às manifestações, Carina liderou uma ocupação em frente ao prédio da prefeitura de São Paulo, ação que garantiu a conquista do passe-livre estudantil que hoje beneficia 600 mil estudantes na capital paulista.

Em 2015, Carina Vitral é eleita presidente da UNE. No dia seguinte à sua eleição, conduziu a mobilização de estudantes no congresso nacional para barrar o projeto de lei que previa a redução da maioridade penal, de autoria do deputado federal Eduardo Cunha. O parlamentar foi alvo da luta de estudantes de todo o país, que mais tarde se levantaram para resistir ao golpe jurídico, midiático e parlamentar que retirou Dilma Rousseff da Presidência da República.

Junto aos estudantes, Carina organizou grande resistência da juventude ao golpe e, posteriormente, aos retrocessos impostos pelo governo Temer. Em sua gestão à frente da UNE, os estudantes resistiram, através da ocupação de universidades em todo país, à PEC 95, que prevê o congelamento dos recursos em saúde e educação por 20 anos.

Ainda durante o período em que presidiu a UNE, Carina se candidatou à prefeitura de Santos, fato inédito na história da entidade. Ficou em segundo lugar na disputa eleitoral, convertendo-se em uma importante liderança da luta pela diminuição da desigualdade social na região da Baixada Santista.

Atualmente Carina preside a União da Juventude Socialista (UJS), movimento de juventude que integra desde o início de sua militância no movimento estudantil. A UJS surgiu no período de redemocratização do Brasil no final da ditadura militar. É um movimento de juventude responsável pela aprovação do voto aos 16 anos, pela aprovação do estatuto da juventude e políticas públicas de promoção do acesso à educação.

Ao lado de lideranças de todo o país, Carina lidera, hoje, o movimento “Ocupa o poder”, que estimula jovens a se candidatarem em prol da renovação política.

Carina Vitral é candidata a deputada estadual pelo PCdoB em São Paulo. Apresenta-se como uma candidatura feminista, de defesa da juventude, da renovação política, dos direitos sociais e humanos.

Vote Carina Vitral, 65 180. O número das mulheres.

Linha do tempo

*

2013

Carina é eleita presidente da UEE

Carina é eleita presidente da UEE
Carina iniciou sua trajetória de luta ao participar do movimento estudantil. Foi da diretoria do Centro dos Estudantes de Santos (CES) quando ainda estava no ensino médio. Já na faculdade, foi presidenta da União Estadual dos Estudantes de São Paulo (UEE) de 2013 a 2015. Na época liderou uma das maiores conquistas da juventude na cidade de São Paulo: o passe livre estudantil, que hoje beneficia 600 mil estudantes na Capital e região metropolitana.
2015

Carina é eleita presidente da UNE

Carina é eleita presidente da UNE
Foto legenda: Carina lidera ocupação na Câmara dos Deputados durante votação da redução da maioridade penal, quando estudantes foram reprimidos pela segurança da Casa Crédito: Acervo pessoal Carina é eleita presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE) para o biênio de 2015-2017, período em que estudantes universitários fizeram ocupações em defesa das universidades públicas e resistiram à Proposta de Emenda Constitucional (PEC 95) que congela por 20 anos os investimentos do governo federal em educação e saúde.
2016

Carina participa de ocupação na ALESP

Carina participa de ocupação na ALESP
Foto legenda: Estudantes comemoram conquista da CPI da merenda após ocupação na Alesp Foto: Mídia Ninja Carina sempre defendeu a educação pública, e apoiou a ocupação das escolas em São Paulo contra a decisão do Alckmin de fechar colégios e remanejar alunos. O projeto foi revogado após a pressão estudantil. Ela também apoiou a ocupação da Assembleia Legislativa que culminou na CPI que investigou desvio de verbas da merenda escolar.
2016

Carina se candidata à prefeitura de Santos

Carina se candidata à prefeitura de Santos
Foto legenda: Carina observa a região da Vila Gilda (Zona Noroeste), em Santos, onde incêndios constantes provocados por condições de moradia precárias colocam vidas em risco e causam prejuízos às famílias Em 2016, ela se candidatou à Prefeitura de Santos, e foi a segunda mais votada. Carina luta contra as enchentes na cidade e defende projetos para a Zona Noroeste.
2018

Carina e Manuela D’Ávila

Carina e Manuela D’Ávila
Foto-legenda: Carina com Manuela D’Ávila, candidata a vice-presidenta da República pelo PCdoB Crédito: Karla Boughoff Carina luta por direitos e salários iguais entre homens e mulheres. Ao lado de Manuela D’Ávila, defende que as mulheres ocupem o poder para transformar a política em instrumento a serviço dos interesses da maioria do povo e do desenvolvimento do Brasil.
2018

Carina e a luta feminista

Carina e a luta feminista
O deputado Orlando também é autor do projeto que institui o Estatuto das Famílias do Século 21 e garante reconhecimento formal a todas as formas de família dos tempos atuais. Foto: Karla Boughoff Imagem corrente de mulheres Carina e o deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) participam de bate-papo com mulheres para discutir política e os rumos do país. “Não há progresso sem as mulheres!”, declarou Orlando, que é autor da lei municipal da Capital que institui mínimo de 50% de representação de mulheres nos conselhos municipais de gestão, controle e participação social. Ele também é autor de um projeto na Câmara dos Deputados com objetivo semelhante, de assegurar 50% de presença de mulheres em instâncias como o Conselho Nacional de Saúde e o Conselho Nacional de Educação, o que propicia mais qualidade nos debates dos conselhos participativos, ao dar voz às mulheres, e contribui com a formação de novas lideranças femininas.
2018

Carina participa de manifestação do 8 de Março

Carina participa de manifestação do 8 de Março
Foto: Karla Boughoff Legenda: Carina participa de manifestação do 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, em São Paulo, junto com dirigentes de entidades estudantis e da União Brasileira de Mulheres. Fazemos um chamado a todas e todos que não se sentem representados pela política atual: participe desta campanha colaborativa, onde quem quiser contribuir será protagonista da mudança que almejamos. Faça parte desta caminhada!

Participe!

Essa campanha tem como principal objetivo ocupar o poder para renovar a política. Por isso, essa caminhada será coletiva e construída por muitas mãos. Ao preencher o cadastro, você estará fazendo parte do nosso coletivo de voluntários que levarão esse projeto jovem e popular à ALESP.

Como você gostaria de participar?

Organizar reuniões com amigos e familiaresColocar placa em casaColar adesivo no carroDivulgar material de campanha via WhatsAppCompartilhar postagens da Carina no FacebookParticipar de panfletagens e atividades de campanha

Colabore com a campanha

Carina foi presidente da UNE e da União Estadual dos Estudantes de São Paulo. Em 2016, disputou a eleição para prefeitura de Santos (SP), e atualmente preside a União da Juventude Socialista.

Junto com a candidata a vice-presidenta da República Manuela D´Ávila, acredita no empoderamento feminino e luta para que as mulheres e os jovens tenham condições de participar da política.

Você que quer a renovação na política, que acredita na força das mulheres, dos jovens, dos negros, dos LGBTs, que confia na capacidade de transformação da maioria que hoje está alijada das decisões políticas, colabore.

Você que luta por educação pública de qualidade, para resgatar a democracia e para que o Brasil tenha um projeto de desenvolvimento que gere emprego, distribua renda, garanta direitos e ofereça oportunidades a quem precisa, venha nesta caminhada.

Nossa luta só pode ser vitoriosa com a força coletiva, com a sua participação. Quem mora em outros estados também pode colaborar. Doe qualquer valor.

Doe

Siga nas redes

E-mail: [email protected]

Me chame no WhatsApp  

Share This